FANDOM


Jurian foi um infame general mortal durante a famosa guerra entre imortais e mortais, que resultou na construção da Muralha. Sua primeira aparição foi como prisioneiro de Amarantha, que o aprisionara dentro de um anel que continha seu olho. Após Feyre matá-la, Jurian é libertado e se torna um vassalo do rei de Hybern.

Aparência Física

Em Corte de Névoa e Fúria, Feyre descreve Jurian como alto e bonito para um mortal, com cabelo castanho escuro, olhos castanhos cruéis e calculistas e pele bronzeada.

Personalidade

Pouco se sabe sobre o Jurian original. Isto é, antes de sua ressurreição. Pode-se especular que ele era extremamente traiçoeiro e impiedoso, tendo traído Clythia, sua amante feérica, a uma morte horrível e a usado exclusivamente para seu ganho pessoal. Ele nasceu um guerreiro talentoso e formidável, mas provou ser incapaz de se manter firme contra a poderosa comandante dos feéricos, Amarantha. Pode-se supor que ele era um pouco carismático, mas Mor mencionou uma vez que ele era extremamente arrogante e odioso, e que "só gostava de falar de si mesmo" [1]. Após sua ressurreição, ele é descrito como alguém extremamente instável e possivelmente psicótico. Sua terrível provação com Amarantha, a morte violenta e a tortura prolongada em suas mãos, deixou-o irreparavelmente marcado, tanto fisicamente quanto mentalmente. No entanto, não é totalmente sem coração, como ele parece estar um pouco em conflito ao ver três Filhos dos Abençoados. Feyre acrescenta que "pela primeira vez, [Jurian] pareceu dividido" quando os viu na fronteira da Corte Primaveril. Pode-se inferir que ele ainda se importa, mesmo que minimamente, com os mortais.

História

Vida Pregressa

Perto do final de Corte de Espinhos e Rosas, Alis revela a Feyre que Jurian era um general mortal operando em favor do Exército Mortal durante a infame guerra entre mortais e imortais. No meio da guerra, Jurian seduziu Clythia, a irmã de Amarantha (emissária do rei de Hybern), com a intenção de coletar informações. Ele afirma que Miryam, sua antiga amante meio feérica, sugeriu e encorajou Jurian a fazer isso devido ao desespero da guerra. Jurian enfraqueceu Clythia com madeira de freixo e veneno feérico. Há rumores de que ele a torturou lentamente até a morte, queimando-a.

Depois de ouvir a notícia devastadora da morte horrível de sua irmã, Amarantha rastreia e violentamente tortura e mata Jurian, e depois de fazer isso, pega seus dedos e olhos para prender sua alma dentro das partes roubadas de seu corpo, que ela sempre usa: o dedo como um colar e o olho dentro do seu anel. Por causa disso, ele nunca pode morrer em paz, sendo condenado para sempre a viver em um purgatório sem fim. Quando Amarantha é mais tarde morta e seu corpo é queimado, é mencionado que o osso e o olho de Jurian não foram encontrados em seu corpo, e mais tarde é revelado que ambos os artefatos foram roubados pelo Attor.

Corte de Névoa e Fúria

Usando o anel e o osso colhidos do cadáver de Amarantha em Corte de Espinhos e Rosas, o rei de Hybern foi capaz de usar o Caldeirão para ressuscitar Jurian, já que sua força vital estava embutida em ambos os artefatos para que Jurian não fosse capaz de passar para a vida pós morte depois de sua morte violenta nas mãos de Amarantha. Sua participação é crucial para a aliança formada entre o rei de Hybern e as rainhas mortais, que preferem um de sua própria raça a um feérico. Usando Jurian, a quem as rainhas confiam erroneamente, o rei é capaz de roubar sua fidelidade da Corte Noturna e reivindicá-las como suas próprias aliadas. Durante os últimos capítulos de Corte de Névoa e Fúria, Jurian subjuga vários membros da Corte Noturna depois de chegar em Hybern, ferindo gravemente Azriel com uma flecha de freixo, antes de serem levados em custódia pelo rei de Hybern.

Corte de Asas e Ruína

Jurian, junto com os sobrinhos de Hybern, viajam até a Corte Primaveril, um de seus aliados na guerra iminente. Ele é descrito como uma prova viva dos rumores que o cercam, com uma aura de insanidade sutil e arrogância. Seu plano desde a sua ressurreição era encontrar o Príncipe Drakon e Miryam, sua ex-amante, para torturá-los e matá-los brutalmente.

No entanto, ele mais tarde revela que isso é um fingimento e explica que só quer se desculpar com Drakon e Miryam. Ele se junta à luta contra Hybern e decide se juntar à corte de Vassa após o término da guerra.

Relacionamentos

Jurian se envolveu em um relacionamento romântico com a irmã mais nova de Amarantha, Clythia, antes de traí-la, matando-a. Essa foi a causa da obsessão enlouquecida de Amarantha por Jurian e seu profundo ódio contra ele. Ele também é conhecido por ter outra amante, Miryam, que o largou por um príncipe feérico, Drakon. Diz-se que depois de deixar Jurian, ela se casou e se tornou parceira de Drakon, e ainda está vivendo pacificamente ao lado dele durante os eventos de Corte de Névoa e Fúria. Ela é o objeto da obsessão de Jurian, e ele a procura implacavelmente. A necessidade de Jurian de localizar Miryam e puni-la por tê-lo abandonado é sua motivação para se alinhar ao rei de Hybern.

Aparições

Referências

  1. Página 179 de Corte de Névoa e Fúria.